Culto: Quarenta Dias – mais do que um número, mais do que uma duração

Culto: Quarenta Dias – mais do que um número, mais do que uma duração

Quadragésima, expressão latina da liturgia católica, denomina o período de quarenta dias da Quaresma – a preparação para a Páscoa. É talvez o maior exemplo do simbolismo do número quarenta com que o Antigo e o Novo Testamento representam os momentos salientes da experiência da fé da comunidade judaica e cristã. No seu simbolismo, este número não significa um tempo cronológico exato, ritmado pela sequência de dias, mas uma representação sociocultural, um símbolo de um período de duração significativa para uma comunidade de crentes. Na Bíblia, o número quarenta aparece em diversos momentos significativos. Aqui estão alguns exemplos:
Durante o dilúvio, Noé passa quarenta dias na arca, juntamente com a sua família e animais. Após o dilúvio passaram mais quarenta dias antes de tocar em terra firme.
Na narrativa referente a Moisés, é o tempo da sua permanência no monte Sinai – quarenta dias e quarenta noites – para receber a Lei.
Quarenta anos dura a viagem do povo judeu do Egito para a Terra Prometida.
Jesus foi levado por Maria e José ao Templo, quarenta dias após o seu nascimento, para ser apresentado ao Senhor.
Antes de iniciar a sua “vida pública”, Jesus retira-se para o deserto por quarenta dias e quarenta noites, jejuando.
Durante quarenta dias Jesus ressuscitado instrui os seus discípulos, antes de ascender ao Céu.