Peregrinação: O enigmático santuário da Nossa Senhora da Boa Estrela

Peregrinação: O enigmático santuário da Nossa Senhora da Boa Estrela

Uma peregrinação pela Covilhã não pode ficar completa sem uma subida à esplendorosa Serra da Estrela. E no caminho para o ponto mais alto de Portugal Continental (a Torre, com uma altitude de 1990 metros), o peregrino deve parar e admirar um dos mais insólitos e enigmáticos santuários portugueses.

Trata-se do monumento à Senhora da Boa Estrela, padroeira dos pastores. Situada no Covão do Boi, memo ao lado da estrada que dá acesso à Torre. A imagem foi esculpida em baixo relevo na rocha, sendo o seu autor o escultor António Duarte. A obra foi concluída em 1946 por encomenda do pároco ao Mestre António Duarte, natural das Caldas da Rainha e que fazia parte da segunda geração de artistas modernistas portugueses. O escultor Realizou uma “obra considerável de estatuário, mas também de retratista“, afirmando-se como um dos escultores de maior relevo da sua geração. A Virgem dos Pastores foi esculpida no granito e sobrevive como um local de culto muito ligado à transumância e à pastorícia. O molde da escultura – originalmente concebida pelo Mestre António Duarte, na década de 1940 – esteve muitos anos guardado no sótão da Escola Secundária Campos Melo,  tendo sido restaurado no ano letivo de 1997/1998, sob orientação do professor João Boléu.

Antigamente organizava-se uma festa no segundo domingo de Agosto em homenagem à Nossa Senhora da Serra, tradição que entretanto se perdeu.