Culto: Ecce Homo ou o Senhor da Cana Verde

Culto: Ecce Homo ou o Senhor da Cana Verde

“Eis o Homem”, ou em latim “Ecce Homo” são as palavras que o Cônsul Pôncio Pilatos terá dito antes de apresentar Jesus Cristo aos judeus, já flagelado, atado e com a coroa de espinhos.  Pilatos apresentou Jesus à multidão em fúria submetendo aos judeus a decisão sobre o destino de Jesus, de que Pilatos lavava as suas mãos

 

 

Na iconografia cristã costuma chamar-se Ecce Homo ou Senhor da Cana Verde, vulgarmente com ela na mão a servir-lhe de ceptro real às figurações de Jesus Cristo apresentado em sofrimento.

Na representação de episódio da narrativa bíblica dos passos do calvário, o Senhor da cana verde (Ecce Homo), aparece  de mãos atadas, despojado das suas vestes, o corpo coberto por manto escarlate que lhe pende dos ombros e se apoia nas pernas caindo no chão. Na mão direita sustenta a cana verde, símbolo do ceptro régio, imposta pelos algozes num gesto de escárnio, um dos quais ajoelha à sua frente, enquanto os outros dois lhe cravam a coroa de espinhos na cabeça com a ajuda de uma verga e bastões, fazendo escorrer o Seu sangue pelo rosto caído, de olhar dirigido para o chão e expressão de assumida resignação.

Este episódio bíblico é retratado e recriado nas procissões de via sacra e a imagem do Senhor da Cana Verde é de forte devoção em muitas terras da Quadragésima. O Museu de Arte Sacra da Covilhã tem por exemplo uma notável imagem do Senhor da Cana Verde cedido pela Igreja do Teixoso.

 

Pintura: “Ecce Homo”, Caravaggio