Gravuras rupestres de vale maior

Gravuras rupestres de vale maior

A tradição do sagrado na Beira Interior não se esgota nas ancestrais manifestações religiosas do período da quaresma, mas remonta a raízes muito mais profundas e primordiais, expressas na arte rupestre que deixou vestígios um pouco por todo o território.

Um dos exemplos mais curiosos e notáveis são as gravuras rupestres de Vale Maior (concelho de Sabugal). A gravura encontrada defronte dos antigos Paços do Concelho é composta por uma grande motivo quadrangular reticulado de 7×8 fiadas de quadrículas que se assemelha a um tabuleiro de jogo, mas que sugere uma evocação do sagrado. Esta iconografia foi provavelmente feita no período da Arte Esquemática, que ao contrário da arte paleolítica, em que eram gravados sobretudo animais, se passou para uma representação mais esquematizada, à base de símbolos, figuras geométricas e representações antropomórficas. “Este estilo artístico iniciou-se no Neolítico e difundiu-se sobretudo no período do Calcolítico e Idade do Bronze (III-II milénios a.C.).”

Estas gravuras rupestres permitem suspeitar que o povoamento local recua ainda mais alguns séculos e que estas comunidades criaram um espaço sagrado ou artístico na encosta meridional do relevo, onde deixaram gravadas representações mitológicas, ou simplesmente artísticas. “Esta rocha desenhada poderia servir de enquadramento a ritos que ali se processavam ou faria alusão a acontecimentos mitológicos, cuja natureza nos escapa”.

Visitar este local do sagrado pré-histórico e conhecer algumas das mais belas e remotas aldeias do concelho do Sabugal é motivo bom de Peregrinação ao Interior.

Coordenadas GPS: N 40 28.588′ W 006 56.435′